Em meio à crise econômica, está cada vez mais difícil sobrar dinheiro no final do mês, e por isso muitos brasileiros adiam a realização de seus sonhos, como viajar e trocar de carro, por exemplo. Segundo educadores financeiros, o modo de organizar o orçamento mensal faz diferença, tanto para as contas fecharem, quanto para conquistar os objetivos de forma sustentável.

Até hoje, a maioria das pessoas aprendeu a fazer dessa forma: Ganhos (-) Despesas = Lucro/Prejuízo. O erro está justamente em não colocar os sonhos na conta. A orientação é organizar da seguinte forma: Ganhos (-) Sonhos (-) Despesas. Não é preciso esperar que sobre ou falte dinheiro para pensar nos sonhos, pelo contrário. O ideal é poupar para eles em primeiro lugar, priorizando os objetivos frente ao consumo.

Para praticar esse orçamento sustentável, é preciso definir quais sonhos deseja realizar no curto prazo (em até um ano), no médio prazo (entre um e 10 anos) e no longo prazo (após 10 anos). Em seguida, é preciso saber quanto custa cada um desses objetivos e o quanto será necessário poupar por mês para realizar no período planejado.

Para desenvolver o hábito de poupar, a pessoa precisa, em primeiro lugar, compreender de que forma gasta o seu dinheiro. Fazer um diagnóstico financeiro facilitará a reflexão sobre quais despesas pode reduzir ou eliminar, portanto é indicado anotar durante 30 dias (se tiver renda fixa) ou 90 dias (renda variável) todos os gastos, incluindo os pequenos, como guloseimas e gorjetas.

Após fazer um diagnóstico da situação financeira, a pessoa terá mais facilidade em poupar dinheiro e cultivar o hábito de conquistar sonhos todos os anos e por toda a vida. A orientação para quem é casado/a e tem filhos é envolver a família em todos os passos dessa mudança para organizar o orçamento financeiro de forma definitiva.

Fonte:DSOP Educação Financeira