A diretoria do Sindicato dos Oficiais de Justiça Avaliadores de Mato Grosso (Sindojus/MT) se reuniu ontem (21.08), para discutir diversos assuntos, entre eles, a escolha do oficial de Justiça, Wilson Wagner Pereira Cardoso como novo diretor-social do Sindicato.

Além da escolha de Wilson, a diretoria também apresentou o oficial de Justiça, Roney César, que fará parte da comissão para acompanhar as discussões da Lei Orçamentária Anual (LOA), do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ/MT) para defender os interesses da categoria.

O presidente do Sindojus/MT, Eder Gomes, explanou a situação da entidade, destacou as conquistas para a categoria e pediu o apoio de todos para fortalecer ainda mais o Sindicato. 

Segundo Eder, atualmente, o Sindojus conta com aproximadamente 80% dos oficiais de Justiça sindicalizados, mas enfatizou que são necessárias novas adesões.

Outro assunto discutido foi quanto à demora por parte do Tribunal de Justiça na implantação do novo valor para custeio de diligências para cumprimento de mandado de Justiça gratuita. Eder disse que apesar do Sindojus/MT gozar de credibilidade junto à categoria e a Presidência do Tribunal, não tem como esperar mais para que o TJ/MT libere o pagamento para o custeio de diligências de Justiça gratuita. A categoria já pensa em uma paralisação dos oficiais para chamar atenção do presidente do TJ, desembargador Paulo da Cunha.

“Criou-se uma expectativa grande sobre a implantação do novo valor, mas até o momento não saiu nada e não ficou definida data para implantação do novo valor do custeio. Os oficiais de Justiça não querem mais esperar. Precisamos de uma definição concreta de quando a categoria vai receber”, justificou o presidente.


Fonte: Assessoria Sindojus/MT
Foto: Assessoria Sindojus/MT