O Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) aprovou, por unanimidade, nesta quinta-feira (30.07), durante sessão extraordinária administrativa, o Plano Plurianual (PPA) do Judiciário para os próximos quatro anos (2016/2019). O PPA segue agora para o Executivo Estadual.

Na quarta-feira (29.07), o PPA foi apresentado para a Comissão Orçamentária do TJMT, desembargadores, a alta administração do Tribunal, Sindicato dos Oficiais de Justiça de Mato Grosso (Sindojus), Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso (Sinjusmat) e a Associação Mato-grossense de Magistrados (Amam).

A corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maria Erotides Kneip, ressaltou que a apresentação do PPA é de vital importância para que todos saibam o que está sendo planejado para o Judiciário para os próximos anos. “Assim, podemos saber com que orçamento contar nas diversas áreas. Isso faz parte do projeto de transparência absoluta das nossas contas, dos nossos gastos e de quanto gastamos para prestar nosso serviço. Muito importante que todas as áreas sejam ouvidas, como foram nessa reunião”.

Para a vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Clarice Claudino da Silva, discutir o plano plurianual é muito importante, até mesmo porque “planejar é da essência de toda a administração pública. Considero primordial uma boa explicação do que está sendo planejado, para que todos se sintam mais confortáveis, confiantes, dentro daquilo que está sendo proposto para os próximos anos”.

O coordenador de Planejamento do TJMT, Afonso Maciel, fez uma explanação de como o PPA foi construído ao longo dos últimos dois meses, com a participação das áreas do Judiciário. “Todos foram envolvidos e apresentaram suas demandas, demandas estas que foram ajustadas ao teto orçamentário definido pelo governo”.

Ele ressalta que o Plano Plurianual é um planejamento de quatro anos, onde são definidas as diretrizes, os grandes projetos que serão realizados entre 2016 e 2019. “Tomamos o cuidado de alinhar o PPA com o nosso planejamento estratégico, que foi construído no final do ano passado para cinco anos (2015 a 2020), alinhado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ)”.

Conforme o coordenador, o planejamento estratégico foi a diretriz para a elaboração do PPA. “Fizemos o PPA alinhado ao planejamento estratégico. O Plano Plurianual traz o orçamento, os recursos financeiros e orçamentários para a concretização do plano estratégico. Nós hoje, em julho de 2015, estamos pensando qual o Judiciário que queremos em dezembro de 2019, o nosso prazo máximo. Essa reflexão foi colocada à mesa e amplamente discutida, para só depois ser levada ao Pleno”.


Fonte: TJ/MT
Foto: André Romeu