A valorização dos servidores do Poder Judiciário Mato-grossense foi uma das metas atingidas pela atual administração, liderada pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando de Almeida Perri. Pagamento de passivos trabalhistas atrasados, melhoria das condições de trabalho, capacitações presenciais e à distância, foram algumas das ações desenvolvidas com foco nos servidores.

A oficial de justiça da Comarca de Rondonópolis e colaboradora do Juvam, Elza Maria Gonçalves Prado, ressalta que muitos investimentos foram feitos visando a preservação ambiental e o bem-estar dos servidores. “O Juizado Especial Volante Ambiental, onde trabalho, recebeu muitos investimentos nesta gestão e por isso conseguimos realizar mais fiscalizações. Além de melhorar a infraestrutura, pagaram os passivos trabalhistas que há muitos anos nós esperávamos. De maneira geral me senti motivada e valorizada por esta administração”, exalta a servidora.

Para a próxima diretoria, ela diz esperar por continuidade. “Acredito que a nova gestão será tão boa quanto esta. Estou bem esperançosa de que coisas boas virão e que a nova diretoria vai continuar fazendo bastante pelos servidores”, diz.

Para Zenaide Silva Venâncio, gestora-geral da comarca de São José do Rio Claro (distante 315 km da Capital), os servidores nunca foram tão prestigiados e valorizados. “Gostei muito da gestão do Perri. Ele foi um presidente muito acessível. Veio pessoalmente à comarca ouvir as nossas demandas. Além disso, valorizou os servidores como nunca”, salienta.

Entre as ações que ela mais gostou, figuram a regularização de expedientes, o pagamento dos passivos trabalhistas, a capacitação dos servidores e a estruturação dos fóruns.

Quanto às perspectivas para o futuro, Zenaide admite que são as melhores. “Acredito que o Paulo da Cunha vai seguir no mesmo caminho do desembargador Orlando Perri”, deseja Zenaide.

Há 27 anos trabalhando no Poder Judiciário, José Manuel Azadinho Palmezan, analista judiciário da 4ª vara criminal do fórum de Cuiabá, também avaliou como muito positiva a gestão 2013/2015. “Achei muito boa sob todos os aspectos. Para quem começou há muito tempo no Judiciário, como eu, e viu várias gestões passarem, posso dizer que a diretoria cuidou direitinho da casa, dos servidores e dos jurisdicionados”, destaca José.

Ela ressalta também que a administração procurou atender tanto aos anseios individuais, quanto particulares, e ainda deixou projetos para o futuro. “Falando não só como servidor, mas como cidadão, acredito que esta gestão não deixou nada para trás”, garante o analista judiciário. Embora esteja se aposentando na próxima segunda-feira (02/02) junto com a fim da atual gestão, José vai continuar acompanhando as ações do Poder Judiciário.

Fonte: TJ/MT
Foto: TJ/MT