O presidente da Federação Nacional dos Oficiais de Justiça (Fenojus), João Batista Fernandes afirmou em entrevista a rádio CBN na manhã desta quinta-feira (22.05) em Cuiabá, que Mato Grosso está fora do compasso nacional quando o assunto é o nível superior dos oficiais de Justiça no Estado.

“Quase todos os estados da Federação já alçaram a condição de nível superior em bacharel em direito, e Mato Grosso, infelizmente ainda não. Tivemos com o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Perri e vamos ver se agora realmente consegue materializar essa demanda, não se pode pensar em um operador do direito, aquele que vai a campo que não seja nível superior, que não tenha qualificação necessária pra bem cumprir”, enfatizou.

Segundo ele, a falta de graduação do oficial pode acarretar grandes problemas a Justiça. “Porque uma citação mal feita, uma certidão mal dada pode ocorrer uma série de prejuízos para a sociedade, dentre elas, imagine um preso que deveria ser citado de determinada forma não sendo, porque não houve os procedimentos normais, amanhã esse processo pode ser contestado e essa pessoa amanhã está na rua, preso de alta periculosidade, estou dando exemplo aqui, não que seja fato real corriqueiro, mas isso pode acontecer”.

Questionado sobre o andamento no estado,  o presidente contou que tem certeza que o Mato Grosso reconhecerá esta necessidade. “Volto a dizer que o presidente Orlando presta apoio a está nossa reivindicação nacional e com certeza espero que em pouco tempo o estado de Mato Grosso possa vir se emanar a toda a federação reconhecendo o direito e a qualidade da qualificação do oficial de justiça em Mato Grosso”, finalizou João Batista.

Por Izabella Araújo/Assessoria Sindojus/MT
Foto: Edina Araújo/ Assessoria Sindojus/MT